Fique Diva - Ingrid Quintanilha conta sobre suas mudanças capilares e como cuida do cabelo colorido: 'A vida é muito curta para se ver de uma forma só'

05/04/2018 / Publicado por Marina Couto

Ingrid Quintanilha conta sobre suas mudanças capilares e como cuida do cabelo colorido: 'A vida é muito curta para se ver de uma forma só'

Ingrid Quintanilha é youtuber, estudante de comunicação e adora mudar a cor dos cabelos

Ingrid Quintanilha é youtuber, estudante de comunicação e adora mudar a cor dos cabelos

Para cuidar dos cabelos coloridos, Ingrid aposta em misturinha com queratina líquida, mel e outros ingredientes caseiros

Para cuidar dos cabelos coloridos, Ingrid aposta em misturinha com queratina líquida, mel e outros ingredientes caseiros

Ingrid já sofreu críticas ao pintar os cabelos de cores diferentes

Ingrid já sofreu críticas ao pintar os cabelos de cores diferentes

Reconstrução, nutrição e hidratação são tratamentos que fazem parte da rotina de Ingrid

Reconstrução, nutrição e hidratação são tratamentos que fazem parte da rotina de Ingrid

Se você for contar nos dedos quantas vezes Ingrid Quintanilha já mudou os cabelos, pode ser que se perca na contagem. É que a youtuber e estudante de Comunicação ama trocar a cor das madeixas e, recentemente, também cortou os fios bem curtinhos, o que provocou uma verdadeira revolução no seu jeito de se vestir e na sua vida. Em entrevista ao Fique Diva, a jovem contou sobre sua transição capilar, o que faz para manter os cachos sempre bonitos e deu várias dicas para quem quer aprender a cuidar do cabelo colorido. Confira!

FD: Antes de exibir esses cachos lindos, você já passou pela transição capilar, certo? Como foi o processo e o que mudou na sua vida com a decisão de assumir os fios naturais?

Eu passei pela transição capilar em 2011 e, na época, nem existia todo esse movimento de transição e tudo mais. Então foi um processo bem difícil, pois não existia nenhuma informação sobre cabelos cacheados em nenhum lugar. Com isso eu tive que ir descobrindo sozinha o que funcionava ou não no meu cabelo, às vezes era bem frustrante.

A transição capilar me mudou completamente, eu diria que até mais por dentro do que por fora. Eu aprendi muito mais sobre mim e sobre o que eu realmente sentia, além de me tornar mais forte e confiante.

FD: Como é a sua rotina com o cabelo? Tem alguma receitinha caseira ou tratamento de que não abre mão?

Eu lavo o cabelo uma vez por semana, dependendo do meu humor! Quando está muito quente, normalmente lavo mais e, sempre que lavo, faço um tratamento (reconstrução, nutrição ou hidratação). Vou me guiando pelo o que eu acho que meus fios estão precisando naquele momento.
Uma receita caseira que eu não abro mão é uma mistura de queratina líquida com mel, azeite, vitamina A e um creme de reconstrução. Como eu faço descolorações, queratina e óleos são os meus aliados para recuperar o cabelo.

FD: Já fez alguma mudança capilar por causa de algum acontecimento na sua vida ou para marcar uma nova fase? Se sim, como foi?

Se tem uma coisa que eu já fiz nessa vida foi mudança capilar! Amo mudar o meu cabelo e minhas mudanças estão diretamente ligadas ao meu humor, mas às vezes eu só vejo uma cor bonita em uma foto e quero igual. Tudo para mim é motivo para trocar a cor dos fios, penso que não tem porque passar a vida sem ser ver de outras formas, tanto por dentro, quanto por fora. Todas as minhas mudanças foram incríveis, únicas e loucas. Algumas deram problemas, mas no final deu tudo certo e não me arrependo de nenhuma.

FD: Você já pintou o cabelo de diferentes cores! Qual delas você mais gostou e qual deu mais trabalho? Pintaria novamente com alguma tonalidade?

A cor que eu mais gostei foi o azul, inclusive foi a que eu fiquei mais tempo, mas também foi uma das que me deram mais trabalho, assim como a “cor de fogo” e o cinza, minha cor atual. É que algumas tonalidades precisam de um fundo muito específico, então, se você não estiver com o tom de loiro certo, o resultado vai ser alterado.

Eu pintaria novamente o cabelo de todas as tonalidades que eu já tive, porque todas me marcaram demais. Mas, se eu tivesse que escolher só uma, sem sombras de dúvidas seria o azul, pois muitas coisas incríveis aconteceram comigo quando estava com o cabelo assim.

FD: Já sofreu algum preconceito por ter os cabelos coloridos? Como faz para lidar com as críticas?

Já sofri muito preconceito e em diversos ambientes, pois as pessoas atrelam o cabelo colorido à irresponsabilidade, à falta de comprometimento e seriedade, o que não tem nada a ver. Não é uma cor de cabelo que vai determinar o quão sério ou comprometido você pode ser com uma tarefa. Eu nunca fui muito de ligar para a opinião alheia e o meu bordão é "Ninguém paga os meus tonalizantes, então ninguém tem que achar nada”. Confesso que às vezes algumas coisas machucam e cansam, mas eu procuro não deixar isso influenciar o meu modo de viver.

FD: Ainda sobre a coloração, sente alguma diferença na hora de cuidar dos fios coloridos? O que faz para manter a cor sempre radiante?

Eu sinto muita diferença no meu cabelo com e sem coloração. Primeiro que os fios ficam mais danificados, por conta das descolorações, e segundo porque o cabelo cacheado/crespo já tem a tendência de ser mais ressecado. Juntando esses dois fatores, tenho um cuidado redobrado na hora de cuidar dos fios.

Para manter a cor sempre radiante, uso o mínimo de shampoo e procuro sempre os que tem pouco sal, sulfato e parabenos, pois esses ingredientes ajudam a cor a sair mais rápido. Também vez ou outra, quando vejo que a cor está mais apagadinha, faço um banho de brilho, onde misturo o meu tonalizante com um creme de hidratação.

FD: Além de colorido, seu cabelo está mais curtinho. Como foi a sensação de cortar as madeixas depois de tanto tempo? Seu estilo mudou depois do corte e da coloração?

Foi libertador! A última vez que tinha cortado o cabelo tão curto foi na minha época de transição capilar, então refazer esse passo só me fez lembrar dos caminhos que me tornaram quem eu sou hoje. Como eu disse no vídeo que fiz sobre o corte , foi uma delícia poder cortar o cabelo e sentir que eu estava começando de novo uma nova fase

Meu estilo mudou totalmente depois do corte e das colorações, principalmente minhas roupas, praticamente troquei de armário. É como se a cada mudança eu descobrisse uma parte nova de mim. Eu diria que todas essas mudanças foram quebra-cabeças, que me montaram e ainda estão fazendo isso.

FD: Que dicas você daria para as leitoras do Fique Diva que estão com medo de pintar os cabelos ou de assumir os cabelos crespos e cacheados?

Bem, acho que a maior dica que eu poderia dar é: seja quem você quiser ser e não tenha medo. Às vezes, não fazemos coisas que queremos com medo de "ficar ruim", mas esquecemos que tudo é motivo para começar de novo. Então, permita-se ver de outras formas e se você não gostar é só cortar, pintar, camuflar… Existem mil possibilidades e a vida é muito curta para se ver de uma forma só. Imagina você bem velinha vendo suas fotos e em todas com a mesma "cara"?? Não ia ter graça nenhuma, então se permita ser outra versão de você.

Ver mais:

Mais Matérias:

Mais Matérias

Espaço Diva

Fique ainda mais diva usando a hashtag #fiquedivacomniely no Instagram