Fique Diva - Dayse Santana decide encarar a transição capilar depois dos 50: 'Tive que entender como é o meu cabelo e como cuidar dele'

03/10/2017 / Publicado por Marina Couto

Dayse Santana decide encarar a transição capilar depois dos 50: 'Tive que entender como é o meu cabelo e como cuidar dele'

Dayse Santana não teve medo de começar a transição capilar aos 56 anos

Dayse Santana não teve medo de começar a transição capilar aos 56 anos

A designer de interiores usou o cabelo liso por muitos anos, por achar que é o jeito mais fácil de arrumá-los

A designer de interiores usou o cabelo liso por muitos anos, por achar que é o jeito mais fácil de arrumá-los

"Manter o liso, na verdade, me dava muito mais trabalho, considerando a quantidade de cabelo que eu tenho. Já estava cansada", conta Dayse.

"Manter o liso, na verdade, me dava muito mais trabalho, considerando a quantidade de cabelo que eu tenho. Já estava cansada", conta Dayse.

Antes de encarar a transição, Dayse Santana fez vários tipos de alisamento e, mesmo sem fazer progressiva, usava as ferramentas de calor para alisar os fios

Antes de encarar a transição, Dayse Santana fez vários tipos de alisamento e, mesmo sem fazer progressiva, usava as ferramentas de calor para alisar os fios

Um dos motivos para que Dayse entrasse na transição foi a própria filha, que assumiu os cachos

Um dos motivos para que Dayse entrasse na transição foi a própria filha, que assumiu os cachos

Para cuidar dos cabelos cacheados, Dayse procurou um profissional especializado e aprendeu a finalizar os cachos

Para cuidar dos cabelos cacheados, Dayse procurou um profissional especializado e aprendeu a finalizar os cachos

Hoje em dia, é comum vermos as meninas assumirem o cabelo natural cada vez mais cedo ou nem cogitarem a possibilidade de usar químicas. Mas isso significa que quem ficou anos alisando os fios não possa mudar de ideia? Claro que não! A designer de interiores Dayse Santana, de 56 anos, usava as madeixas lisas desde os 14, mas, como uma boa ariana - como ela mesma se define - não teve medo de mudar e voltar aos cachos. Quer saber como está sendo o processo? Então confira a entrevista que ela deu ao Fique Diva!

A transição capilar da filha motivou a mudança de Dayse

Para a designer, era mais fácil manter os cabelos sempre lisos e alinhados. Por isso, Dayse testou todas as escovas que estavam na moda, entre elas, a touca de gesso, a escova de chocolate e progressiva tradicional. Dependendo da época, nem fazia os alisamentos químicos, mas recorria às ferramentas de calor para conseguir o resultado.

Até que chegou o momento em que cansou: “Manter o liso, na verdade, me dava muito mais trabalho, considerando a quantidade de cabelo que eu tenho. Já estava cansada. Outro incentivo foi a transição capilar da minha filha. Pensei ‘por que não?’, não tenho medo de mudar. Cabelo cresce!”

Apesar de não ter feito o big chop, Dayse não deixou de cortar os cabelos

Para marcar a nova fase, Dayse procurou um profissional especializado em cacheados e crespos para cortar os fios. A mudança está sendo gradual, mas os cachos já estão tomando forma. “Decidi cortar o cabelo o máximo possível, mas sem deixá-lo supercurto. Preferi mantê-lo acima do ombro, mas daqui a três meses vou cortar os fios novamente”.

E encarar a transição capilar está sendo difícil? “Foi bem simples. Tinha feito progressiva há uns 4 meses, no máximo, mas logo que o cabeleireiro fez a lavagem, com produtos específicos, meus cachos começaram a aparecer. Tive que entender como é o meu cabelo e como cuidar dele”.

A finalização faz toda a diferença na hora de ajeitar os cachos

Mesmo com duas texturas, Dayse colocou em prática tudo o que aprendeu no salão para finalizar os cabelos do jeito certo. “Ele me explicou que preciso usar os cremes com o cabelo ainda molhado. Na minha primeira lavagem em casa, achei que ia ficar horrível, mas segui os passos e - tcharam! - continuei diva!”

Outra dica é usar os dedos para pentear as madeixas: “Está sendo bem mais fácil e, mesmo ainda tendo química nos fios, eles reagiram muito bem”. E para quem também está pensando em mudar depois dos 50, não precisa ter medo. “Particularmente, não tenho problema com mudanças e não fico pensando muito. Tive vontade e fiz, acho que é o melhor. Mas a minha principal dica é procurar um bom profissional, para evitar surpresas desagradáveis.”

Mais Matérias:

Mais Matérias

Espaço Diva

Fique ainda mais diva usando a hashtag #fiquedivacomniely no Instagram