Fique Diva - Libertação dos cachos masculinos: Raphael Costa conta como deixou a máquina de lado e assumiu o cabelo cacheado

29/06/2016 / Publicado por Nayanne Louise

Libertação dos cachos masculinos: Raphael Costa conta como deixou a máquina de lado e assumiu o cabelo cacheado

Completando dois anos com o novo visual, Raphael nunca esteve tão satisfeito com a aparência: 'Sempre tive um problema de autoestima, de me olhar no espelho e não me reconhecer. Com o cabelo cacheado mais comprido, me identifico e me acho mais bonito', revelou

Completando dois anos com o novo visual, Raphael nunca esteve tão satisfeito com a aparência: 'Sempre tive um problema de autoestima, de me olhar no espelho e não me reconhecer. Com o cabelo cacheado mais comprido, me identifico e me acho mais bonito', revelou

O publicitário Raphael Costa cortava os fios bem batidinhos sempre que começavam a criticar sua aparência. Mas ele deu a volta por cima, libertou os cachos e deixou eles crescerem

O publicitário Raphael Costa cortava os fios bem batidinhos sempre que começavam a criticar sua aparência. Mas ele deu a volta por cima, libertou os cachos e deixou eles crescerem

'Nunca deixava meu cabelo crescer por vergonha, porque as pessoas falavam sobre o volume e a falta de definição me incomodava também. Tentei alisar duas vezes com guanidina, mas o resultado não ficou muito bom. Até que eu pensei: dane-se, eu quero deixar crescer', contou o publicitário

'Nunca deixava meu cabelo crescer por vergonha, porque as pessoas falavam sobre o volume e a falta de definição me incomodava também. Tentei alisar duas vezes com guanidina, mas o resultado não ficou muito bom. Até que eu pensei: dane-se, eu quero deixar crescer', contou o publicitário

O volume é uma característica comum e muito bonita do cabelo cacheado. Para os rapazes, além da pressão social, esse pode ser um dos principais motivos que os leva a raspar os fios

O volume é uma característica comum e muito bonita do cabelo cacheado. Para os rapazes, além da pressão social, esse pode ser um dos principais motivos que os leva a raspar os fios

Com dois anos de crescimento e alguns cortes eventuais, Raphael viu a importância de cortar os fios com um cabeleireiro especializado em cachos: 'Tive muita dificuldade para encontrar'

Com dois anos de crescimento e alguns cortes eventuais, Raphael viu a importância de cortar os fios com um cabeleireiro especializado em cachos: 'Tive muita dificuldade para encontrar'

Muitos homens de cabelo afro acabam raspando a cabeça por um padrão que é empurrado a eles desde pequenos, seja por uma 'boa aparência' ou pela facilidade

Muitos homens de cabelo afro acabam raspando a cabeça por um padrão que é empurrado a eles desde pequenos, seja por uma 'boa aparência' ou pela facilidade

Aceitação capilar é um assunto que a gente adora falar por aqui. Mas não pense que aceitar o próprio cabelo é um período de transição que só acontece com as mulheres ou que está sempre relacionado à quem fazia alisamento ou relaxamento. Muitos homens de cabelo afro, por exemplo, acabam raspando a cabeça por um padrão que é empurrado a eles desde pequenos, seja por uma “boa aparência” ou pela facilidade. O analista de mercado Raphael Costa foi um dos que passou por essa situação durante muitos anos, cortando os fios bem batidinhos sempre que começavam a criticar sua aparência. Mas ele deu a volta por cima, libertou os cachos e deixou eles crescerem. Confira o superpapo que ele bateu com a gente sobre esse assunto! 

“Nunca deixava meu cabelo crescer por vergonha do volume”

O volume é uma característica comum e muito bonita do cabelo cacheado. Para os rapazes, além da pressão social, esse pode ser um dos principais motivos que os leva a raspar os fios: “Nunca deixava meu cabelo crescer por vergonha, porque as pessoas falavam sobre o volume e a falta de definição me incomodava também. Então, preferia cortar batidinho para esconder. Tentei alisar duas vezes com guanidina, mas o resultado não ficou muito bom. Até que eu pensei: ‘dane-se, eu quero deixar crescer'”, contou.  

Completando dois anos com o novo visual, Raphael nunca esteve tão satisfeito com a aparência: "Sempre tive um problema de autoestima, de me olhar no espelho e não me reconhecer. Com o cabelo cacheado mais comprido, me identifico e me acho mais bonito", revelou.  

A rotina de cuidados com o cabelo mudou totalmente

Depois que Raphael decidiu deixar o cabelo crescer, tudo mudou em sua rotina. Foi preciso investir em novos produtos, aprender todos os cuidados para o seu tipo de cacho e por aí vai: “No início, não sabia como cuidar, então meu cabelo ficava muito ressecado, com volume e sem definição. Até que conheci o santo low poo”. Para quem não conhece, esse é um método muito famoso entre os cacheados(as), onde não se pode usar produtos com sulfatos, substância utilizada para fazer uma limpeza profunda dos fios e que pode provocar perda da oleosidade natural e ressecamento.

“Como no começo ainda usava muito produtos proibidos, acabou não dando muito efeito. Precisei parar, pesquisar e aprender mesmo como fazer essa rotina. Hoje sou apaixonado por tudo que envolve essa técnica”, contou. Fica a dica do nosso divo! 

Encontrar um cabeleireiro especialista em cacho é fundamental

Com dois anos de crescimento e alguns cortes eventuais, Raphael viu a importância de cortar os fios com um cabeleireiro especializado em cachos: “Tive muita dificuldade para encontrar. Errei algumas vezes no corte, mas estou no terceiro desde que cresceu. Fui aprendendo aos poucos sobre meu cabelo. Hoje em dia só tiro as pontas e deixo mais volume onde começa minha calvície, para equilibrar”, revelou.

Quanto a finalização, o publicitário revela ser viciado em finalizadores: “Uso vários! Mas quando estou com pressa e meu cabelo está molhado, faço plopping (técnica de texturização) com uma blusa velha de algodão”, disse.  

Mais Matérias:

Mais Matérias

Espaço Diva

Fique ainda mais diva usando a hashtag #fiquedivacomniely no Instagram