Fique Diva - Azeite normal x azeite extravirgem: qual é o melhor para fazer tratamento no cabelo?

21/08/2018 / Publicado por Vitória Quirino

Azeite normal x azeite extravirgem: qual é o melhor para fazer tratamento no cabelo?

Escolher o tipo certo de azeite influencia completamente no resultado final dos tratamentos na pele e no cabelo

Escolher o tipo certo de azeite influencia completamente no resultado final dos tratamentos na pele e no cabelo

Os óleos vegetais são ingredientes que fazem toda a diferença na rotina capilar. Eles são os grandes representantes da etapa de nutrição do cronograma de cuidados e também podem incrementar diversos outros tratamentos. Entre as opções disponíveis no mercado, o azeite de oliva possui os preços mais acessíveis e também é o mais fácil de ser encontrado. Além da praticidade no momento da compra, esse tipo de óleo garante diversos benefícios tanto para as madeixas quanto para a pele. Mas você sabe qual a diferença entre o azeite normal e o extravirgem? E será que essa diferença é notada nos tratamentos capilares? O Fique Diva respondeu todas essas dúvidas, confira!

O azeite virgem e extravirgem são ideais para pele e cabelos

Existe sim um tipo de azeite mais indicado para os tratamentos com a pele e com os cabelos. Os tipos virgem e extravirgem são escolhas certeiras para que você consiga aproveitar ao máximo todos os benefícios do produto. Isso acontece porque existem diversos métodos de extração do óleo das azeitonas. É esse processo que vai fazer toda diferença no resultado final.

No caso do azeite virgem e extravirgem a extração é feita por prensagem das azeitonas e por isso possuem maior qualidade. Com eles os nutrientes do produto ficam intactos e o nível de acidez do óleo é bem mais baixo. Portanto, os tratamentos serão mais bem sucedidos com esse tipo de azeite, fica a dica!

Evite o azeite refinado para tratamentos

Já o azeite refinado pode ser evitado, principalmente para ser usado na pele do rosto. Nesse tipo a etapa de processamento acontece da seguinte maneira, os restos de óleo de oliva que possuem mais acidez e sabor muito pronunciado, passam por um procedimento químico. A química soluciona os problemas de acidez e sabor, mas acaba retirando os benefícios do azeite no processo. Por isso, o azeite refinado é considerado de pior qualidade e não possui tanto poder transformador quando usado na pele ou no cabelo.

 

O tipo certo de azeite vai fazer toda a diferença nos cuidados com o cabelo

O mesmo cuidado que você tem para comprar os cosméticos capilares também deve existir na hora de escolher os ingredientes caseiros para suas receitas. Decidir pelo azeite correto vai melhorar a reposição de lipídeos nos fios com a ajuda dos ácidos graxos e da vitamina E, que estão presentes na composição do produto.

Ver mais:

Mais Matérias:

Mais Matérias

Espaço Diva

Fique ainda mais diva usando a hashtag #fiquedivacomniely no Instagram